Toinha Vieira: “Falta de sinalização aumenta violência no trânsito”

 A deputada Toinha Vieira (PSDB) apresentou uma Indicação nesta quarta-feira (13) na Assembléia Legislativa pedindo a instalação de semáforos e sinalização nas ruas de Sena Madureira.
 Ela também reivindica ao governo do estado que providencie um local com mais estrutura para acomodar os servidores e usuários do Ciretran, que hoje funciona em uma pequena sala da Unidade de Segurança Pública do município.
A parlamentar está preocupada com a violência no trânsito em Sena Madureira, que nos últimos meses vem tirando a vida de dezenas de pessoas.
“Estou enviando uma reivindicação ao governo que não é só minha, mas de toda a população do meu município que vive aterrorizada com tantas mortes. Muitos pais não querem mais deixar os filhos sair de casa”, relata.
 Toinha lembra que Sena é o terceiro município do estado e por falta de uma política de educação de trânsito nas escolas e também para a comunidade, o número de acidentes de trânsito aumentou consideravelmente nos últimos anos no município.
 De acordo com a parlamentar, depois da abertura da BR-364 o número maior de veículos passou a circular nas ruas da cidade, que não dispõem de sinalização. “O governo do estado precisa resolver esse problema com a máxima urgência, caso contrário, o número de acidentes poderá a aumentar”, alerta.
Thiago Amós
 
A deputada lembrou o sofrimento da família do estudante Thiago Amós, que se encontra em coma no leito de uma UTI do Hospital de clínicas de Rio Branco há quatro dias.
Thiago caminhava na Avenida Avelino Chaves, na noite do último sábado (9) quando foi atropelado e jogado há vários metros de distância de onde estava.
“Assim como essa mãe que está sofrendo muito, outras pessoas também choram por entes queridos que morreram ou estão internados nos hospitais por causa da violência no trânsito”, lembra Toinha.
O estudante sofreu fratura exposta em uma das pernas, no tórax e na bacia e traumatismo craniano. O estado de saúde dele, apesar de instável, é muito grave.
“Como ele é um jovem de 18 anos, acredito que possa se recuperar”, disse um dos médicos que vem prestando atendimento à vítima.  (Assessoria)
Assuntos desta notícia


Join the Conversation