Pular para o conteúdo
Beth Passos
Beth Passos é comunicadora, produtora, assessora de imprensa e empresária. Email: [email protected]

Até quando?

Casos isolados, raros, ocultados, não relacionados, subestimados, não notificados, nunca existidos. Já perdemos as contas de quantos são, mas para a grande mídia, para os políticos comunistas- progressistas- esquerdistas e para os órgãos de saúde eles não existem, são todos fake news. Estamos vivendo em mundos paralelos: entre aqueles que estão vivendo na pele os seus dramas, abandonados, chorando seus mortos ou suas sequelas graves sem nenhuma tutela; enquanto outros vivem do que “ a mídia diz” sem viver a realidade dos fatos e, ainda por cima possuem direitos de coagir, discriminar e maltratar pessoas por aquilo que não condiz com a realidade (verdadeiros espíritos totalitários com alma ditatorial).

Qual o limite de mortes para entender que há algo errado? Quantas pessoas precisarão morrer para a Anvisa, FDA, CDC aceitar pelo menos em discutir sobre a segurança do soro milagroso!? Os casos não estão sendo notificados, os problemas continuam aumentando. Muitos foram ludibriados pela ideia que estamos sendo salvos, muitos acreditam que está tudo sob controle com essas leis liberticidas e que a segurança foi implantada através de um passaporte que “só serve para o controle social, mas não para o controle do vírus. ” O político que insiste em justificar o passaporte ao seu cidadão através de argumentos falsos, não científicos, escondidos atrás de suas ideologias: está conspirando contra o seu povo! Até quando você está disposto a pagar com a sua saúde física e mental? Até quando você vai aceitar ser enganado, manipulado, calado, sendo cúmplice em sacrificar toda uma sociedade e as futuras gerações?

Aqui na Europa já anunciaram a QUARTA ONDA…. 2 anos de caos, terrorismo, tensão e nada mudou, muito pelo contrário só piorou. Todos inoculados, “passaportados” e mesmo assim a mídia e os políticos “interessados” insistem em restringir ainda mais a vida do cidadão, colocando a culpa naquele que optou em não fazer parte de um experimento. Para castigar a sociedade como em um regime nazicomunistafacista decidiram utilizar inocentes como alvo, na Itália, onde está valendo tudo, pelo que andei lendo, até o Guinness da inoculação em crianças passaram a fazer parte do jogo.

Um toco de vela, uma faísca sem rumo, uma lamparina a gás, e até uma estrela cadente. Estamos precisando de luz, muita luz para atravessarmos esses tempos.

 

Beth Passos

Jornalista