Pular para o conteúdo
Novembro Azul

Câncer de próstata: maioria dos acreanos ainda trata a doença com indiferença

No Brasil, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o tumor de próstata é o segundo mais comum entre homens — ficando atrás apenas do câncer de pele. Sesacre lançou, nesta segunda-feira, 8, o cronograma da campanha Novembro Azul, que inclui atendimentos, ações de saúde e palestras

Para uma parcela significativa do público masculino, o tratamento de prevenção do câncer de próstata, segundo tipo de câncer com mais incidência entre o gênero, ainda é tabu. Uma pesquisa divulgada, recentemente, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelou que 42% dos brasileiros acima dos 40 anos nunca fizeram exame que possibilita o diagnóstico da doença.

Na capital acreana, a maioria dos homens também vê com certo preconceito a busca pelo tratamento. Para conscientizar a população masculina sobre a necessidade de se cuidar, o governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), lançou na segunda-feira, 8, o cronograma da campanha Novembro Azul, que inclui atendimentos, ações de saúde e palestras. Com o tema: “Não se esconda atrás dos seus preconceitos”, a ação chama a atenção para os tabus que impedem o homem de buscar um tratamento preventivo.

Exame divide opiniões

O feirante Raimundo Julião Dias, de 54 anos, comentou que ainda não fez o exame. “Sei que ja era para ter ido ao médico. Sempre tem um colega para ‘alugar’ a gente, dizendo: cuidado com o dedo do médico, Raimundo! Sei que não tenho que ir pela opinião dos outros, pois é algo que devo fazer pela minha saúde. Vou fazer o exame ainda este ano”.

Feirante Raimundo Julião, de 54 anos, tem consciência da importância do exame, mas ainda não fez

O aposentado José Domingos, de 74 anos, disse que já fez o procedimento médico e acha ‘burrice’ quem não faz o exame preventivo. “Desculpa a expressão, mais é muito ‘burro’ o cidadão que não faz o exame de próstata. Depois que ‘pega’ a doença é mais complicado o tratamento. Fiz o meu primeiro exame assim que completei 40 anos. Me cuido e vou ao médico sempre que é preciso”.

José Domingos acha “burrice” o preconceito contra o exame preventivo

Lira Monteiro, comerciante de 40 anos, salientou que ainda não fez o exame por conta da correria do dia a dia. “Estamos no mês de conscientização da doença. Vou tirar um dia para me cuidar. O homem tem que ir sempre ao médico, diferente da mulher, que busca tratamento preventivo para qualquer coisa que sente. Quando um homem brinca com o outro em relação ao assunto, acaba criando um bloqueio na pessoa que quer procurar o urologista, o que é errado”.

Lira Monteiro já fez 40 anos e ainda não procurou o exame, mas diz que vai aproveitar o mês de conscientização da doença para se cuidar
O radialista Albecy Passos também é contra o preconceito e garante que vai ao médico rotineiramente como forma de prevenção

O radialista Albecir Passos, de 62 anos, ressaltou que todos os homens devem fazer o exame, e que o do toque é o mais eficaz. “Para mim, o exame de sangue não detecta muito bem a doença. Acho que a questão do preconceito dos homens em fazer o exame diminuiu, mas muitos deles ainda se recusam. Não sinto nenhum mal estar, graças a Deus. Vou ao médico corriqueiramente”.

Dados

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) alerta que o câncer de próstata só é diagnosticado em fase avançada, por ser um tumor silencioso. A doença deve atingir mais de 65 mil pessoas em 2021. Cerca de 75% dos casos atingem homens com 65 anos ou mais, e o número de mortes ultrapassa 15 mil todos os anos. Com o atraso ainda maior nos exames, em 2020 e 2021, em decorrência da pandemia do novo coronavírus, que obrigou o isolamento social, o cenário tende a se agravar, com um aumento de casos em estágios mais avançados sendo detectados a partir do próximo ano, segundo levantamento do INCA. Médicos especialistas afirmam que muitos homens deixam de detectar o câncer nos estágios iniciais (por meio de exames preventivos) quando as chances de cura são mais altas e os tratamentos menos agressivos.

Principais sintomas do câncer de próstata

Os sinais da doença costumam aparecer quando ela está em um estágio avançado. Saiba, a seguir, quais são eles.

1. Sangue na urina
Um sinal de que a nossa saúde está sob controle é quando a urina sai transparente. Portanto, caso você note a presença de sangue ao urinar, é preciso procurar o médico para investigar a causa. Chamado no linguajar da Medicina de hematúria, esse é um dos sintomas do câncer de próstata mais comuns.

2. Excesso de micção
Você sente necessidade de urinar sempre? Quando vai ao banheiro, a quantidade de líquido expelido é maior do que o normal? O excesso de micção também é um dos indícios do câncer de próstata, logo é preciso ficar atento a esse sinal. Outro possível diagnóstico é a hiperplasia prostática benigna (HBP), um crescimento benigno da glândula.

3. Perda de peso
Quando estão com algum problema de saúde, algumas pessoas começam a perder peso sem motivo aparente, ainda que os hábitos alimentares e de vida permaneçam os mesmos. Esse é um sintoma não apenas do câncer de próstata, mas também de outras doenças graves. Investigar a causa o mais rápido possível é essencial para a busca adequada da solução.

4. Sensação de queimação na uretra
Os sintomas do câncer de próstata incluem também a sensação de queimação na uretra, canal que dá passagem à urina e ao esperma. Há quem encare tal incômodo como algo passageiro e protele a ida ao médico. Porém a recorrência dessa manifestação deve ser levada a sério, pois sinaliza a fase avançada da doença.

5. Fadiga
Sentir cansaço ao fazer o mínimo de esforço é um aviso de que existe alguma alteração em seu organismo. A fadiga está relacionada a doenças mentais e físicas, e também é um dos sintomas do câncer de próstata. Se ela estiver associada a outros sinais da doença, as chances de um diagnóstico que a confirme são ainda maiores. Portanto, procure o médico para investigar esse problema.

6. Dores nas costas, nos testículos e na pélvis
Desconforto nos órgãos do sistema reprodutor masculino ou na área ao redor é mais um sinal de alerta para o câncer de próstata. Quando a doença evolui, é comum sentir, ainda, dor óssea — principalmente na região das costas. Esse é um sintoma da presença de metástases, o que vai exigir métodos terapêuticos específicos para reverter o quadro.

Formas de tratamento

Existem diferentes tipos de terapias para tratar o câncer de próstata, sendo que elas podem ser combinadas ou não. Quem decide pelo melhor método é o médico urologista, de acordo com a idade do paciente, o tamanho e a classificação do tumor. O acompanhamento clínico menos invasivo, por exemplo, é indicado para idosos com evolução lenta da doença. (Fonte: blog.partmedsaude.com.br).