* Operação “Varredura” da Polícia Civil cumpriu 60 mandados de busca e apreensão em todo o Estado

A operação “Varredura”  da Polícia Civil desencadeada no final da semana passada em Rio Branco, que recebeu aceitação da sociedade, foi estendida a todos os municípios do Estado.

Na manhã de ontem, 19, cerca de 300 policiais de 30 delegacias de todo o Estado cum-priram simultaneamente 60 mandados de busca e apreensão na Capital e em 16 municípios.

Em menos de duas horas, foram realizadas 10 prisões em flagrante por tráfico de drogas e 16 cumprimentos de prisão por ordem da Justiça.
A polícia encaminhou para a cadeia pessoas envolvidas em crimes de tráfico de drogas, homicídios, tentativas, crimes sexuais e ambientais.

Todas as prisões são resultantes de investigações conduzidas pelas delegacias especializadas e regionais da polícia na Capital e interior.
Também foram detidos vários envolvidos em pequenos delitos, que responderão a Termos Circunstanciados de Ocorrências (TCO) nos Juizados Especiais.

Secretário de Polícia Civil faz balanço da operação – No balanço da operação, o secretário da Polícia Civil, Emylson Farias da Silva, avalia positiva a ação da Polícia Judiciária já ocorrida neste formato no Estado. Os presos na “Operação Varredura” figuram entre os indiciados nos inquéritos policiais abertos, nos concluídos, relatados e encaminhados ao Poder Judiciário.  

Segundo Emylson Farias, investigações estão acontecendo e por conta disso os índices de produtividade estão se elevando. “Embora os indicadores de criminalidade estejam altos, a repressão está acontecendo, a polícia está usando todo o seu pessoal e recurso para dar uma resposta efetiva à sociedade, e com isso, diminuir a sensação de insegurança”, analisa.

TRÁFICO – O tráfico de drogas tem sido alvo freqüente das operações da Polícia Civil. Dez pessoas que se beneficiavam com a venda e distribuição de entorpecentes foram presas em menos de duas horas no Estado. As prisões por tráfico aconteceram em Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima e Xapuri. A droga trazida da Bolívia e do Peru era distribuída nos municípios.

Quando Emylson Farias assumiu a Polícia Civil há pouco mais de um ano, sabia que o Acre tinha alcançado índices de violência elevado, decorrente dos sucessivos ataques de criminosos contra o patrimônio público (roubos e furtos), além de homicídios. Nesse período, mergulhou de cabeça na tarefa de restabelecer a ordem pública. (Com informações da assessoria)

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation