Perpétua Almeida faz o balanço das suas lutas em 2009

Perpetua545
O que faz deputada federal, Perpétua Almeida (PCdoB-AC), uma campeã de votos, é a proximidade que mantém com seus eleitores. Ontem, a parlamentar do PCdoB estava nos lugares mais populares de Rio Branco distribuindo o informativo com a prestação de contas do seu mandato, em 2009. A cada abordagem, Perpétua, dizia: “aqui companheiro, vocês não reclamam que os políticos não fazem nada? Pois está aqui tudo que eu fiz este ano”. A deputada gosta da abordagem direta com a população. Um dia depois das eleições de 2006 lá estava ela parada no sinal de um dos cruzamentos mais movimentados da Capital distribuindo panfletos. Alguém passa e grita: “a eleição já acabou”. Ela responde: “agora, estou agradecendo os meus votos”. Em 2009, a produção parlamentar de Perpétua Almeida foi grande. É sobre isso que a deputada conversou com A GAZETA.

Balanço das atividades parlamentares
As causas mais populares dos acreanos foram abraçadas por Perpétua. “Termino o ano animada. Tive bandeiras de luta animadoras. Como o reconhecimento de que os trabalhadores que usaram o DDT tiveram prejuízos à vida. Também a nossa briga em defesa dos roçados contras as multas descabidas do Ibama, a defesa junto com a Aleac na questão da integração com os países vizinhos e a batalha para que os soldados da borracha fossem reconhecidos como combatentes de guerra. Tivemos boas brigas e resultados positivos”, analisou.

Multas do Ibama
Perpétua esteve algumas vezes com o presidente do Ibama reivindicando um melhor tratamento aos moradores da zona rural.  “A postura que o Ibama tem no Acre de ser um órgão que está com o chicote nas costas do pequeno agricultor não é correta. Eles não conseguem ir na frente orientando, mas só multando. O presidente Lula (PT) suspendeu algumas multas injustas. Isso é de certa forma um reconhecimento ao nosso trabalho de luta pelos mais necessitados da Amazônia. Quem mora dentro de um seringal não tem as mesmas informações de quem está na cidade. Essas pessoas precisam muito mais da gente”, destacou.

Soldados da borracha
Outra questão levantada pela deputada acreana é o aumento para sete salários mínimos aos soldados da borracha. “É mais do que justo o Brasil reconhecer a história dessas pessoas, que num esforço, ajudaram o Brasil a sair vitorioso na Segunda Guerra Mundial. Parte do Parlamento Nacional já percebeu isso e reconheceu e aprovou na Comissão Especial. Mas é uma emenda à Constituição que precisa ser aprovada nos plená-rios da Câmara e do Senado. Acredito que se tiver um envolvimento de toda a bancada do Acre é provável a chance de aprovação”, explicou.

Disputa ao Senado
A comunista teve seu nome ventilado para disputar uma das vagas ao Senado. Mas preferiu lançar o seu marido, presidente da Aleac, deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB). “Acho que não está nada definido ainda. Apresentei na Conferência do PCdoB a chapa dos meus sonhos que é o senador Tião Viana (PT-AC) para governador e Jorge Viana (PT) e Edvaldo ao Senado. Acho que tem uma simbologia nessa dupla. Quando o Jorge estava no governo o Edvaldo foi seu líder na Assembléia durante oito anos. É uma dupla que o povo reconheceu. Acho que a candidatura deles é um reconhecimento ao trabalho de dedicação que tiveram ao Acre”, salientou.

Disputa presidencial
Perpétua já avisou que seguirá as orientações eleitorais do PCdoB na disputa presidencial. Assim, confessou seu voto para a pré-candidata Dilma Rous-seff (PT). “O Brasil terá bons candidatos à presidência. Melhor ainda que serão duas mulheres na disputa. Acho que a Marina Silva (PV-AC) todo mundo conhece as suas qualidades. Ela tem se dedicado a causa do meio-ambiente. Mas numa eleição presidencial é preciso ter todas as causas. É preciso fazer uma defesa integral do Brasil. Não pode ser só a bandeira A ou B. No Acre, a gente precisa ser mais gratos ao presidente Lula. É impres-sionante como ele fala do Acre com carinho e tem garantido os recursos necessários ao Estado. No período eleitoral o Acre precisa reconhecer essa dedicação e atender o pedido dele de garantir a sua sucessora. Acho mais do que justo”, justificou.

Aliança PMDB-FPA
Crescem as especulações em torno de uma possível aliança política com a entrada do PMDB à Frente Popular. Mas Perpétua Almeida não acredita muito nessa possibilidade. “Em política não se pode dizer que nunca vai acontecer alguma coisa. Devemos escolher com quem vamos estar no palanque. Não consigo vislumbrar ainda um palanque com o PMDB e FPA juntos, embora, tenha muita gente boa no PMDB. Os embates do passado foram muito fortes”, explicou.

Estrada Cruzeiro do Sul-Pucallpa
Na viagem de uma comitiva de acreanos ao Peru o presidente Lula acenou com a possibilidade de construir uma estrada ligando o Juruá a Pucallpa, no Peru. Alguns políticos governistas são contra a iniciativa por motivos ambientais. Por outro lado, Perpétua Almeida é uma das mais animadas com a possível rodovia. “A estrada deveria ser a bandeira de luta para todos os acreanos para garantir que uma região tão importante consiga sair do isolamento. A prioridade é a conclusão da BR-364, mas seria mais uma facilidade a região se virar para o vizinho do lado para negociar as coisas que interessam. Só quando a gente mergulha nos problemas reais do Juruá entendemos a importância de uma estrada como essa. O Brasil tem condições de fazer a obra levando em consideração a questão ambiental. Os especialistas podem nos indicar como fazer. Não podemos é ser contra uma estrada. Vamos respeitar as questões ambientais, mas vamos fazer”, finalizou.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation