Reeleito, Morales se cobra para acelerar mudanças

O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse hoje que a vitória obtida nas eleições gerais, que ganhou com mais de 60% dos votos segundo as pesquisas, o obriga a “acelerar” o “processo de mudança” que empreende há quatro anos em seu país.

“Temos a enorme responsabilidade de aprofundar, de acelerar este processo de mudança. Que obtenhamos mais de dois terços nas (câmaras de) deputados e senadores me obriga a acelerar este processo de mudança”, disse Morales em discurso de uma sacada do Palácio do Governo de La Paz perante a multidão que se concentrou na região para festejar a reeleição do líder aimará.

Morales proclamou sua vitória com mais de 60% de apoio nas urnas, que é a mesma percentagem que lhe deram as pesquisas de boca-de-urna dos meios de comunicação ao término da jornada de votação.
O governante indígena, que agradeceu o apoio dos moradores de La Paz por sua reeleição, também convocou os dirigentes políticos, cívicos e empresários opositores de algumas regiões para que se somem a seu projeto, à margem das diferenças setoriais ou regionais.

“Somos um Governo da cultura do diálogo”, disse Morales ao ressaltar seu convite a quem ainda não o apóia para que se somem a um projeto de unidade.

“Este projeto agora não é somente de um partido, mas é de todo o povo boliviano. Por isso o respaldo de mais de 60%”, destacou o governante, entre os aplausos de seus seguidores.

O apoio obtido hoje por Morales, que está entre 61% e 63%, supera os 53,7% de 2005, quando ganhou sua primeira eleição.

Também reconheceu que seu partido, o Movimento Ao Socialismo (MAS), não ganhou em todos os departamentos (perdeu em Santa Cruz, Beni e Pando), mas destacou os avanços em outras regiões como Tarija e Chuquisaca, onde antes perderam.

Destacou também que a responsabilidade de sua vitória é também “com a humanidade” e lembrou que em 13 e 14 de dezembro próximos se realizará em Cuba uma cúpula de chefes de Estado do bloco da Aliança Bolivariana das Américas (Alba) para “debater profundamente sobre o socialismo”.

“O triunfo na Bolívia não é só para os bolivianos. Quero dizer aos bolivianos que o triunfo é um justo reconhecimento e uma dedicação a presidentes, Governos, povos anti-imperialistas”, disse o presidente.
Morales assumirá seu novo mandato no dia 22 de janeiro próximo e governará até o mesmo dia de 2015. (Folha Online)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation