Senador mostra a prefeitos como indicou emendas ao OGUem 2010

Tião Maia
Especial para A GAZETA
 
O senador Tião Viana (PT-AC) iniciou esta semana por Porto Acre, Epitaciolândia e Brasiléia uma série de visitas que ele pretende fazer até o final do ano a todos os municípios acreanos, como costuma fazer anualmente desde que tomou posse no Senado, em 1999. Nas visitas, nas quais costuma se reunir com prefeitos, vereadores e outras lideranças locais, o senador faz uma espécie de prestação de contas de seu mandato e das perspectivas em relação ao próximo ano.

Em Porto Acre, o primeiro município a ser visitado nesta mais nova série de visitas, Tião Viana anunciou alocação de emenda de sua autoria ao Orçamento Geral da União (OGU) para 2010 de recursos que permitirão ao município a abertura de pelo menos 100 açudes para a criação de peixes e aquisição de carneiros para pequenas propriedades. De acordo com a proposta, serão adquiridos, com recursos da emenda, oito mil carneiros da raça Santa Inês, dos quais seriam repassados, através do Governo do Estado, para pequenos produtores de todos os municípios, um grupo de seis fêmeas e um macho.

O objetivo é iniciar um grande plantel desses animais no Acre. “Temos frigoríficos prontos para o abate desses animais, cuja carne é muito procurada nos mercados local e externo. Estou certo de que, em três anos, teremos no mínimo 100 mil desses animais no Estado e assim poderíamos criar mais uma alternativa de lucro para o pequeno agricultor”, disse Tião Viana durante uma reunião com o prefeito de Porto Acre, José Maria, além de assessores municipais e representantes da associação de produtores do município. “Eu estou certo de que, além da criação de carneiros, Porto Acre também poderá ser auto-suficiente na produção de peixe com a ajuda que nós vamos dar com a liberação dos recursos para a abertura de açudes no município”, acrescentou.

Tião Viana lembrou ainda que a liberação dos recursos para esses programas ainda dependem do Governo Federal e que ele, como parlamentar, fez sua primeira parte com a alocação dos recursos no OGU. “A segunda parte do trabalho agora é a para a liberação dos recursos. É nisso que a nossa luta agora está concentrada”, afirmou.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation