A saúde através do Prana

O Prana ou Purana, como é chamado pelos Hindus, é a energia vital ou cósmica universal que mantém o organismo de todo ser vivo funcionando de maneira saudável e equilibrada. Em Grego é chamado “pneuma”, em hebráico de “ruach”, que significa “respiração da vida”, os chineses a chamam de “Chi” ou “Ki” e vários outros povos a conhecem com nomes específicos, porém todos relatam existir esta energia primordial ao ser humano e a todo o planeta Terra. Cientificamente, o prana é uma energia eletromagnética, existente em todas as coisas e de forma especial nos organismos vivos. Tem como principais fontes: o Sol, o ar e o solo. Algumas pessoas, com maior sensibilidade visual ou quando friccionam os olhos podem vê-la como pontinhos de luz no ar.

O Prana Solar é absorvido através da exposição ao Sol, principalmente nas primeiras horas do dia onde ele se une nas gotinhas de orvalho, por esse motivo as flores para a fabricação de florais são colhidas neste horário. O Prana do solo, que quando absorvido pelo corpo, traz vitalidade física, pode ser captado pelas solas dos pés ao andarmos descalços na natureza, bem cedo quando o solo ou a grama ainda estão úmidos, pois com o passar das horas o Prana evapora e fica pairando no ar formando o Prana do ar que através da respiração é absorvido pelos pulmões e chakras, centros de captação e dispersão de energias do corpo, onde é distribuído para todos os órgãos e sistema arterial e venoso, considerado um importante veículo de cura e equilíbrio energético.

No Oriente cuidar da respiração é algo imprescindível, assim como a comida para os Ocidentais, pois ela é uma das fontes mais importante de retirada de energia Prana para o nosso organismo, já o alimento passa por vários processos até a chegada em nosso organismo e com isso a quantidade de energia vai diminuindo, prova disso é que quem está acostumado a pegar uma fruta na árvore e comer reclama do sabor se a ela for comprada num supermercado, pois já perdeu parte do Prana.

Existem várias terapias holísticas que ensinam a absorção e melhor aproveitamento do Prana, algumas são: a Yôga, a Meditação, os Florais, etc. O ideal é praticar pela manhã, pois o ar é mais energético. Outras técnicas mais acessíveis à população já foram ensinadas durante milhares de anos pelos nossos avós, descendentes e nosso instinto que é o contato direto com a natureza. Nosso organismo sente a falta desse contato por isso o corpo sente-se cansado, desvitalizado, doente e sem ânimo.

O povo antigo acordava bem cedo disposto a apreciar os primeiros raios de Sol, se exercitar e tomar banho de preferência numa fonte natural para ter saúde. Hoje em dia por mais que se durma cedo, acordar de manhã chega a ser um sacrifício para certas pessoas que vivem cansadas, pois passam o dia com os pés calçados, mora em apartamento sem ter nem ao menos um vaso com plantas, nunca têm tempo para ir numa praia ou num sítio, se alimenta de comida congelada ou enlatada sem Prana, possui uma respiração curta e rápida devido ao estresse do dia-a-dia, usa óculos escuros o dia todo e às vezes até esquece de tirá-los a noite e assim os olhos não entram em contato com o Prana do Sol. Ao chegar em casa cansado à noite nem percebe que ao tomar banho a água energiza o seu corpo e o cansaço diminui.

Se as pessoas observassem melhor a natureza iriam perceber principalmente aqui em Belém que chove muito, que após a chuva o ar que respiramos fica mais leve, agradável e revigorante, a paisagem mais limpa, clara e cheia de vida, as pessoas melhoram o humor e sentem vontade de apreciar a natureza. Este fato é explicado devido a água absorver bastante o Prana, pois é desta forma que o Planeta Terra limpa as energias densas do ambiente como: a poluição produzida por nós através dos carros, lixos e dejetos de industrias, e também os pensamentos e sentimentos desarmônicos que já foram provados pelos cientistas serem ondas de energia com peso e massa, chamados pelo holismo de miasmas mentais. Imaginem a poluição mental que fica no ar com tanto estresse, violência, tristeza, fome, etc. A chuva é como um bálsamo, que vai recolhendo o Prana do ar e do solo, e elevando o padrão vibracional de tudo que estiver desarmônico.

Nosso reservatório de Prana está localizado no abdômen, local conhecido como “Hara” ou “Tan Den”, esta reserva se inicia logo após o nascimento quando é cortada a conexão do bebê com a mãe e ele precisa respirar. Muitas artes marciais utilizam esta reserva para quebrar várias camadas de tijolos e gelo em demonstrações para população. Já para yogues, o objetivo é controlar o Prana pela respiração para “controlar a mente” para nutrir um espírito calmo, um coração tranqüilo e manter os sentidos e desejos sob controle, pois segundo eles “quem controla a mente, governa a si e aos outros com sabedoria”. Nós podemos utilizar esta reserva para termos saúde e bem estar, pensem nisto!

 Conhecimentos antigos falam que para mudar radicalmente sua vida e ter saúde, você não precisar mudar sua alimentação, seus pensamentos, seu sedentarismo, precisa apenas mudar sua maneira de respirar. Quando respiramos profundamente, maximizamos na inspiração tanto oxigênio quanto Prana, sendo assim a doença não tem como se instalar num ambiente extremamente oxigenado. O oxigênio e a respiração são os meios pelo qual se manifesta a ligação entre o corpo e o espírito que, quando bem conectado gera o verdadeiro sentido da vida e a alegria de viver.

Dicas para absorção do Prana:

– Coloque um copo de água mineral para receber os primeiros raios do Sol, carregados de Prana do Sol e após beba-o.
– Coma alimentos naturais.
– Ande descalço na natureza.

Respirar com o centro do abdômen (Tan Den ou Hara): gera energia física, estabilidade mental e autoconfiança, acelera as funções digestivas e circulatórias aumentando a temperatura corporal, portanto desenvolve a saúde e a longevidade.

– Respirar profunda e lentamente (se preferir coloque as mãos sobre ele para sentir o movimento).

– Entre a inalação e a exalação, o fôlego deve ser retido por alguns segundos, respeitando seus limites, para visualizar seu percurso em toda a circulação sanguínea e sentir esta dádiva da vida.
– A exalação deve ser duas vezes mais longa que a inalação, para que todo o ar estagnado e sem Prana seja liberado.

* Gilmar Maia é fisioterapeuta e terapeuta holístico.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation