Em visita ao Acre, ministro elogia governo, mas reclama do assédio dos mosquitos

binho-encontro_cpia
O ministro de Assuntos Estratégicos do governo Lula, Samuel Pinheiro, está no Acre.  A visita de dois dias faz parte da agenda do Plano de Assistência Sustentável aos governos estaduais. Em encontro com o governador Binho Marques (PT), na manhã de ontem, Pinheiro recebeu as primeiras informações sobre as experiências de sustentabilidade que estão sendo desenvolvidas no Estado.

Em visita a Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac), o ministro conheceu detalhes do Programa de Zoneamento Ecológico-Econômico do Acre (ZEE).  Na oportunidade, teve acesso também às tecnologias implementadas nos setores de energia elétrica, manejo Florestal e no Pólo Moveleiro de Rio Branco. 

 À tarde, Samuel Pinheiro visitou sede da Empresa Brasileiro de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) no Acre. No local, concedeu entrevista à imprensa, oportunidade em que elogiou as diretrizes que vem sendo adotadas pelo governo acreano na tentativa de fortalecer o desenvolvimento socioeconômico do Estado.

Também se declarou bastante impressionado com o programa de geração de energia para comunidades isoladas. Elogiou a culinária regional, mas reclamou do assédio dos mosquitos.

Através de exposição do Chefe-geral da Embrapa-Acre, Judson Valentim, o ministro foi informado das inovações que estão sendo desenvolvidas pelo órgão nos setores florestal e agropecuário, com ênfase ao sistema de pecuária sustentável. Por sugestão da própria Embrapa, o ministro estendeu sua agenda até a Fazenda Cipoal, na BR-317, onde pode conhecer esse tipo de experiência mais de perto.

Nesta sexta-feira, 15, o ministro e comitiva visitam as instalações da fábrica de pisos e a indústria de preservativos masculinos de Xapuri. Tem ainda parada obrigatória no Seringal Cachoeira, onde são desenvolvidas práticas de manejo florestal através da parceria público-privada.

Samuel Pinheiro Guimarães é conhecido por suas posições em defesa de um projeto de desenvolvimento nacional e da integração sulamericana. Em 2001, durante o governo Fernando Henrique Cardoso, foi afastado de suas funções do Ministério das Relações Exte-riores, pelo então chanceler Celso Lafer, por suas posições contra a proposta de criação da Área de Livre Comércio das Américas (Alca).

Com o governo Lula, Guimarães retomou posição de destaque na formulação da política externa brasileira. Algumas das principais idéias do novo secretário de Assuntos Estratégicos podem ser encontradas no livro “Desafios brasileiros na era dos gigantes”.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation